segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Où est Fernando?

Indo ao Pão-de-Açúcar, passeando pelas ruas do Centro (e explicando porque diabos os engraxates-mala do Centro insistem em engraxar o tênis dele), indo de ferry-boat para as terras de Araribóia (“Icaraí is a cleaner Copacabana, without whores and tacky clothes shops”), indo à praia e explicando o sofisticado sistema de castas e tribos reinante nelas (Leblon: Brazilian Celebrities + Anorexic Girls; Ipanema: Trendy-Cool People + Trendy-Cool Wannabe People + Steroids, Steroids, Steroids, Aussiebum & “Du iou uant to gou to The Week ánd peí evirifingui for mi?"; Copacabana: Families + Italian/Portuguese Mid 40/50’s Fat men + Whores seeking/scorting Italian/Portuguese Mid 40/50’s Fat men; Leme: Nobody), traduzindo para o inglês/francês todo o menu exótico da cozinha popular brasileira (Tapioca: Something like Crêpe, without the Crêpe, Mandioca: Something you don’t know, Farinha de Mandioca: Something you don’t know’s Powder, Jabuticaba: Strange Berry, Açaí: Strange Berry, Guaraná: Strange Berry that looks like an eye, Geléia de Mocotó: Eat it and I tell you later what it is, Mamão: Natural Activia), comendo em botecos de esquina (porque os olhinhos dele brilham com a simples sofisticação de poder almoçar ao ar livre durante o “inverno”), traduzindo as notícias atuais dos jornais nas bancas (“What means ‘Tiroteio at Intercontinental’? ‘Tiroteio’ is only just another word for Party in Portuguese… Look: there is a French Vogue here!”), levando ele para passear de trem pelos subúrbios do Rio (“Fernando, que signifie ‘Dez paçocas por um real’?” + “Is this REALLY still Rio?!”), explicando as capas do “Meia-Hora”, me entupindo por tabela de todas as coisas tipicamente cariocas (Biscoito Globo, Bananada, Mate de Galão na Praia, Queijadinha, Cajuzinho...), indo até Jurujuba (?) para satisfazer o desejo dele de comer peixe frito na brasa (enquanto eu como... frango frito, já que sou alérgicos a frutos-do-mar)...

Em outras palavras? Sendo feliz pra caralho.

(Postagens voltando ao normal semana que vem, ok? :D)

14 comentários:

Lobo Cinzento disse...

Jurujuba?! Taqueopariu, Corági!

Eu teria medo, muito medo de consumir qualquer pescado lá... só de pensar que pode ter sido pescado ali, um terceiro braço ameaça crescer na minha testa...

Dez paçocas um real?! Deus, onde é isso? Preciso! =o

E achei super fofo a descrição das comidas ahauahauahau

Daniel disse...

HAHAHAHAH!
Eu só não passei por isso porque o meu polvo vidente já é rodado por aqui e já conhece essas coisas todas. E ele adora guaraná, mas não o natural. ele prefere guaraná zero (argh!).

Introspective disse...

HAHAHAHAHAHA Quase caí da cadeira com seu post!!! Adoro quando vc acha que tem que desviar o assunto pra não responder, tipo o mocotó ou o tiroteio. E a caricatura das praias tb está divertidíssima. Vc está se divertindo horrorez, mas e ele? Mande uma foto do casal feliz pro meu email! Bisou!

tommie disse...

Praticamente conduzindo Miss Bardot.

Lucas T. disse...

Hhahahaahahah morri com a descrição do Mamão e de Tiroteio.

You go girl!

beto disse...

gostei da sua dosagem: mostrou a realidade brasileira not-for-Conde-Nast (trem de subúrbio) mas, ao mesmo tempo, poupá-lo de pânicos desnecessários ("another word for party").

só fiquei meio na dúvida sobre o mocotó: foi sacanagem ou entrou em consideração que europeu come muita coisa pior?

Fernando disse...

@Lobo Cinzento: Em alguns momentos, a ignorância pode ser uma benção + achei aquele lado de Niteroí tão simpático! :D

@Daniel: Europeu acha QUALQUER coisa nossa doce demais, portanto ele deve curtir o Guaraná Zero por ser o menos carregado no açúcar.

@Introspective: Ele tá adorando! Achando o custo de vida bem caro, digamos a verdade, mas curtindo muito as diferenças e novidades. Ele é bem aberto, curte muito viagem, e adora ficar escutando as minhas explicações de hoooooras sobre a cultura brasileira.

@Tommie: Hahahah :) Prefiro Deneuve. ;)

@Beto: Cara, eu sou partidário da filosofia "Experimenta e depois pergunta o que é". Sou do tipo chatinho que traumatizou com galinha ao molho pardo depois que descobriu como aquele molho era feito (eca!eca!eca!), mas ao mesmo tempo que tenta ignorar fatores "nojentificantes" nas comidas para continuar descobrindo coisas interessantes. E eu queria que ele provasse Geléia de Mocotó, algo parte da nossa infância, para que depois eu explicasse a ele o que era. ;)

E sobre comida nojenta, querido... nada supera a França. Passeio no Supermercado, com namorado francês todo animado a tiracolo falando "That is..." é traumático. Sinceramente, naquele país, "fritô, dourô, flambô = dá pra comer".

Don Diego De La Vega disse...

Mas esse é um dos seus melhores posts EVER.

Não à toa, chovem elogios.

Parabéns, parabéns.

Engraçado, inteligente, suscinto, criativo, no ponto.

:)

It Guéls disse...

HAHAHAHAHAHAHAAHAHAHAHHAHAHAHAHAHHAHAHAHAAHHAHAAHAHAHAHAHHAHA

A culpa é do café!!!!!!!!!!

bjus,querido!!!!
<3

Don Diego De La Vega disse...

Cadê os posts novos, PORRA!

Tá todo mundo querendo ler mais seus textos. Aproveita a onda e a popularidade.

Para de chorar por causa da França e escreva logo, caralho.

:)

Lucas T. disse...

Cadê os posts novos, PORRA! [2]

^^

Daniel disse...

Ah, descobri qual o it dele com açúcar. Ele tem algum problema com glicose. Não toma/come nada com muito açúcar.

Anônimo disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

railer disse...

adorei sua postagem. também vivi algo assim faz duas semanas. agora meu amor foi embora e ficou a saudade.

vamos entrar em contato? me escreve pelo email no topo do blog. abraços!