quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Curtas: Relativizando o BBB

Cheguei da Europa me prometendo que eu nao iria entrar nessa histeria nacional televisiva chamada Big Brother Brasil. Ledo engano: uma noite de terca, uma amiga viciada, um argumento "Po meu, sentaê! E só veRRR a eliminacao que a gente vai, caramba!" e voilá: me envolvi emocionalmente. Viciei. Merda. :( E quer saber: se fechei a Monocle e fui assistir essa merda, vambora comentar: Dourado? Ha? Oi? Ui!

Total apoio ao direito de livre expressao/opiniao da gay moderna: tem mesmo que pensar da forma de forma independente (e claro, crítica - tira o olho do abdomen do gato e analisa o resto, bee!). Mas: relavitizacao é o CARALHO!

Who is Dourado, what did Dourado? Sincerely, I don't give a fuck. Mais um BBB, menos um BBB: alguma diferenca? Reunioes da pauta do Ego e Saturday Parties do Wolf gritam YEEEES! Para o que eu "give a fuck" (ui!)? Nossa mania nacional de relativizar as coisas. Nao considerar o que as pessoas falam, expressam, comunicam, mas buscar... um significado positivo e inocente para tudo aquilo que foi dito, quando se gosta da pessoa. O famoso jeitinho adaptado para as relacoes interpessoais: fulano nao disse A, na verdade ele queria dizer B, coitadinho.

Pessoas escolhem comportamentos, afirmacoes e opinioes. Ambiente, educacao, histórico familiar influenciam? Sim, podem. Influenciar. Definir? Vai da vontade de cada um em buscar saber, e construir a sua própria verdade. Nao foi buscar? Nao vai levar de mim o beníficio da dúvida, darling.

Para terminar: Gente simples é agricultor de subsistencia do interior da Paraíba. Ignorante é faxineira com ensino fundamental incompleto ganhando sálario mínimo. E suástica como "símbolo utilizado por culturas orientais" só em templo indiano e aquarelinha pintada na Birmania. E sinceramente: Rocky wannabe meets CTG meets Mein Kampf querendo dar uma de tudo isso? NAO. Nao MESMO.

- Aliás, tema relacionado: amigo de um amigo alemao de passagem pelo Rio, levantando um assunto que me deixou bem grilado. Por que vários brasileiros abordam os alemaes com a saudacao do Kaiser ("Heil Hitler!") achando a coisa mais simpática do mundo? A reclamacao já chegou aos meus ouvidos de diversas fontes, todas acrescidas do "Isso só aconteceu comigo no Brasil.". A reacao dos alemaes? A pior possível: de desde o "Mas por que voces fazem isso?" ao "Isso é um assunto sério demais. Nao tem graca nenhuma.". Todas considerando a pessoa que fez a saudacao em questao um imbecil sem qualquer chance de virar amigo posteriormente (se o comedor-de-salsicha levar na boa, CORRAO: o psicopata-canibal-gay deve ter escapado e vir passar férias no Brasil!!!). Relativizar, levar em conta que a pessoa é ignorante, que provavelmente nao foi educada de forma correta nesse tema? Fick dich: sem chance quando o assunto em questao envolve 6 milhoes de judeus mortos, um continente inteiro destruído e um país com uma marca indelével de "culpado" por uma atrocidade dessas. Tem coisas que nao dá pra relavitizar: nazismo, intolerancia racial e homofobia sao algumas delas, Dourado. Aprende essa, lieber.

(Historinha, já contada num comentário num post do Chatonoar: estudante nigeriano do Erasmus resolveu dar uma de engracadinho e mandar um "Heil Hitler!" na principal rua de bares de Hamburgo. Dois policiais viram, e mesmo sendo rídiculo pensar que um africano negro poderia ser um neonazista, o resultado foi delegacia policial, noite dormida na cadeia e multa de 2500EUR, com registro na ficha criminal.  Agora, respondam: qual voces acham que é a possibilidade de a imigracao alema "relativizar" isso na hora em que o cara for tentar um visto para qualquer outra nacao do bloco da UE, hein?).

- E quer saber de uma coisa? Mein Arschloch para BBB e gente imbecil e chega desse assunto que Amaury Junior tá comecando. Tschüß!

Update: To FALANDO que Amaury Junior é PHODA! Com quem ele me abre o programa agora? Carmen Mayrink Veiga! AMO: Narebapower (todos unidos contra a rinoplastia, yeah!), cabelo juba-de-leao total anos 70, rios de dinheiros gastos em coisas absolutamente superflúas (o vestido que Yves Saint Laurent considerava sua obra-prima foi um que ele confeccionou para ela, TSÁ? H&M e Carmen Steffens: Mme Mayrink Veiga te despreza!), portrait pintado por Portinari (Estrella Photo Studio is sooo crediário e cheque especial), moooooitas viagens e o indefectível apartamento nababesco em Paris (apartamento em Paris é tao old money carioca que faliu e perdeu absolutamente TUDO, sobrando somente o apartamento no Atlantica-Rui Barbosa, a louça Limoges e o sobronome pomposo, néam?).

Atoooron! Tao social-marxista-politicamente anti-correta! Carmen Mayrink Veiga: eu te relativizo. ;)

P.S. - Diego: eu super discordo de voce. Mas eu te relativizo também. :D

20 comentários:

Daniel disse...

Brasileiro acha que tudo pode ser motivo de piada. Acho que é porque a gente adora fazer piada com as nossas desgraças que achamos que podemos fazer com as dos outros também.

Outro dia eu estava vendo aquele programa "Brothers" da Errei de TV com os irmãos Suplicy. Tinha um quadro no melhor estilo "olimpíadas do Faustão" chamado "Boliche do Osama": uma pessoa vestida de avião tinha que se jogar num escorrega e derrubar várias colunas cenográficas em forma de prédio no fim da pista. Fico imaginando o que um americano diria disso. E olha que os atentados foram só há 8 anos. o holocausto foi há 60. Na falta (ignorante) de algo melhor para lembrar sobre alemanha, brasileiro resolve lembrar logo da 2ª guerra, que é assunto tabuzíssimo pra eles e os mata de vergonha. Seu Creysson mandou lembranças, né?

Diego disse...

Ah como eu gosto desse seu humor! E eu acho que alguns debates perdem qualidade por perderem foco, perderem a objetividade: ignorância é uma coisa; suástica tatuada no corpo de uma criatura imersa na cultura ocidental pós-Nazismo é outra.

Mas nada se compara a Carmen Terezinha Solbiati Mayrink Veiga! Ah, gente, tem coisa mais deliciosa? Em seu livro "ABC de Carmen" (que eu tenho, shhhhhh! não espalha), no verbete "Traje", ela diz assim, ó, repara:

"ESPORTE. Muitas pessoas têm um pouco de dúvida na hora em que vê escrito no convite 'esporte fino'. Tem que ficar na maior dúvida mesmo, porque esporte fino não existe. O que será? Nunca vi. Quando a dona de casa pede esporte fino, você põe o que quiser. Para mim, o homem pode ir de bermuda, de camiseta; a mulher pode estar de short, vale o que der na cabeça, porque é uma roupa que não existe, portanto a gente inventa." (p. 235)

Adoro esse mau humor aristocrático! E peraí: "na hora em que vê"? Não seria "na hora em que vêem"?

Seria tia Carmen uma ignorante bem intencionada, mais próxima de Dourado do que imaginamos?

;)

Savio Flavio disse...

Adorei!

Introspective disse...

Consegui enxergar vc falando quando li o seu post. Divertido :)

Don Diego De La Vega disse...

Bem, eu tb super discordo de vc.

Como eu já disse lá no blog, não adianta fazer como os evangélicos fazem com a gente, quando justificamos por A mais B q eles estão em errados em nos discriminar: eles ignoram TODOS os nossos argumentos e voltam a bater na mesma tecla usando como justificativa o "é assim porque é assim". Tem q contra-argumentar, e não vir com essa.

E eu não acho q eu tenha buscado significados "inocentes e positivos" pro que o cara disse porque "eu gosto dele". Vc está me reduzindo demais e me subestimando tb. :)

Aliás, acho exatamente o contrário: quem detona tanto busca ver nas palavras dele o que não está lá porque acha q ele tem cara de hooligan e lutador de jiu-jitsu e isso basta pra ser taxado como um escroto que não suporta viado.

O mais engraçado é que pelo menos uns 70% dos que dizem que abominam o Dourado ficariam de 4 pra ele no chão em dez segundos se o cara decidisse provar da coisa.

Pra terminar, o Bambam, pra ficar num exemplo só, aquele que ganhou a primeira edição do BBB, não é nem "agricultor de subsistencia do interior da Paraíba" e nem "faxineira com ensino fundamental incompleto ganhando sálario mínimo."

E é, sim, um cara simples e ignorante (no sentido de não ter conhecimento).

Reducionistas e limitadas DEMAIS essas suas considerações sobre o q é ser simples e ignorante.

Definitivamente super discordo de vc. ;)

Fernando disse...

@Diego: Ok, vamos por partes

#1 ACHO SIM que você foi benevolente demais com o Dourado nas suas afirmações, ao ponto de eu achar que estava lendo a Cleycianne ao invés do crítico Don Diego que eu conheço.

#2 A questão da suástica per se já é representativa da personalidade do cara com quem estamos lidando. Não, não caio nessa história de símbolo oriental (que vai DIRETAMENTE de encontro com a teoria de Dourado ignorante e simples: suástica como símbolo de cultura oriental sim, saber das formas de transmissão do HIV não?!). SOMADO ao comportamento do cara com outros participantes. SOMADO com as afirmações e reações dele nas discussões sobre homossexualidade. SOMADO ao histórico do cara.

#3 Defender que o cara é simples e ignorante? Hellow?! Diego, o cara é morador de uma grande capital, classe média, tem acesso a informação e relembrando: NÃO é a primeira vez dele no show business.

#4 Ignorância e simplicidade não são desculpas para o preconceito. E aceitar comportamentos homofóbicos com base nisso, sinceramente não dá, Diego.

#5 (E para terminar) Argumento péssimo o dos 70% contra o Dourado, Diego... Péssimo. Falar sobre os outros? Não posso. Sobre mim? Primeiro, camarão no Brasil é praticamente commodity: com tanto cara gato, gostoso de corpo e bem resolvido ai (incluindo... Cadu, ó céus, Cadu!)... Dourado? No, thanks. Segundo: camarão não posso - sou alérgico. Prefiro ir de creme brulee mesmo. Nem que para isso eu tenha que ir até Paris para encontrar um decente.

(Teimoso! Do Contra!)

Abraços,
Fer

Fernando disse...

@Daniel: Seu Creysson manda Hallo, segurando caneca de cerveja da Oktoberfest!

Pior de tudo isso é ver o "espírito esportivo" dos brasileiros desabando na primeira crítica pertinente que qualquer estrangeiro faz ao nosso país. Tropa de Elite e Cidade de Deus viram ficção, prostituição infantil somente uma lenda e desigualdade social violenta somente "efeitos colaterais" de um processo de desenvolvimento.

Brasleiro não gosta de crítica. Ponto final.

Fernando disse...

@Diego (but not Don)

Carmen é diva. De uma outra era, cheia de gente preconceituosa, comportamento de fachada e coisas do tipo. Linda. Mas do tipo que se fica feliz por já estar se mandando para o museu. Elite como aquela... god thanks, not anymore.

Quanto ao Dourado: o cara é jovem demais para bancar a do menininho conservador. Não cola.

Diego disse...

Me conta uma coisa? Como você faz pra riscar as letras no texto? Adorei esse efeito, quero copiar. Você autoriza?

Don Diego De La Vega disse...

Fernando, vou por partes tb, como vc:

1) Blz, vc tem direito de achar isso. Continuo achando que o cara não é esse neonazista todo que insistem em gritar....

2) Novamente acho q vc está sendo reducionista. Logo abaixo no seu comentário vc diz q "não pode falar pelos outros". Como então pode dizer, ou melhor, afirmar o que o cara entende ou deixa de entender?

Suponho que o cara por ser lutador e conhecer diversas lutas (muitas delas de origem oriental) tenha sabido sobre a questão dos samurais, códigos de honra, etc e tal. Daí resolveu fazer a tatuagem.

Sobre o HIV, tem um MILHÃO de caras casados mega-super-hiper classe média com acesso a informação e tal que ainda acham que quem só mete não pega nada. Ou que (essa teoria vc já deve ter ouvido milhares de vezes) quem come não é viado, gay, etc. É homem. Quem dá é que é o viado.

Pessoas COM ACESSO A INFORMAÇÃO dizem coisas dessas, pessoas que moram numa cidade grande, pessoas que às vezes trabalham em grandes empresas. E pessoas com acesso à internet e ao site do Globo online por exemplo. (CANSO de ler essas barbaridades por lá).

3) Sabe aqueles nerds do seriado "The Big Bang Theory"? São extremamente inteligentes em relação a milhares de coisas. Mas incrivelmente ignorantes em outras, o que fica óbvio quando vc assiste ao programa, daí derivando sua graça. Preciso explicar mais?

4) Essa de "não ser a primeira vez dele no show business" não quer dizer nada. TANTA gente q é uma toupeira completa, MEGA ignorante e é famosa...mas taaaaanta. Gente famosa há décadas até e q continua ignorante e boçal.

5) Continuo achando que o cara não é preconceituoso nem homofóbico. Acho isso histeria coletiva. Nesse ponto, eu vejo azul e vc amarelo, não adianta.

6) O argumento dos 70% pode ser feio e chato de ouvir/ler, mas é verdade. Não vou usar de meias palavras pq vc sabe q eu não sou disso.

7) Não entendi porque vc usou a palavra "camarão" na sua ironia. Dourado é um tipo de peixe, não um camarão. Olha uma foto linda de um aqui.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Dourado%28Salminus_brasiliensis%29emBonito.jpg

Talvez tenha outro significado q eu não peguei esse termo "camarão" aí.

E o fato de eu não ter entendido o que vc diz dizer com isso não exclui o fato de eu entender milhares de outras coisas. Daí fecho a questão dele poder, sim, saber sobre samurais e cultura oriental e não ter entendido direito o q o médico dele disse do HIV. Vc não saber uma coisa não exclui vc entender (muito até) de outras.

Sou teimoso, sim. Arianos são. Mas olha q como tenho ascendente em libra tendo mais pra mediação, pro acordo de partes hoje em dia.

Se eu fosse ariano típico a gente estaria tendo um debate bem diferente....

Engraçado vc me chamar de "do contra". Vc sinceramente esperava q eu fosse te dar razão em tudo?

abraços

Diego

whateveeer disse...

O "camarao" nao foi uma alusao a "tira a cabeca e come o resto"? hehe

Introspective disse...

Nada como gente de nível, né? Duas pessoas com opiniões opostas, jeitos diferentes de ver as coisas, conseguindo DIALOGAR com educação, elegância e consistência. Ah, se fosse sempre assim!

Bom, Fernando e Diego, conheço e considero ambos meus amigos, sei que o background e as referências recentes dos dois são bem diferentes, e vejo que essas combinações produziram 2 pontos de vista diametralmente opostos, mas igualmente formidáveis. Eu simpatizo um pouco com cada um.

A Folha de SP dedica a página A-3 à coluna Debate: é proposta uma pergunta, e dois convidados escrevem ensaios respondendo, um deles sustentando "SIM" e outro, "NÃO". Se a pergunta fosse "Dourado é homofóbico?", seria mara ter os ensaios de vcs sustentando as respectivas posições.

Quer dizer, se um assunto tão pouco relevante como o BBB fosse capaz de mobilizar a Folha de SP... ;)

Fernando disse...

Diego,

O que eu discordo absolutamente nas suas argumentacoes é o fato que voce defende veementemente que o Dourado nao é preconceituoso nem homofóbico.

Nao estou defendendo que o Dourado seja a reencarnacao do Hitler, e até concordo com parte das suas argumentacoes sobre homofobia e sobre a obsessao da militancia em ver preconceito onde muitas vezes nao há (o que, na minha opiniao, é mais puro reflexo da posicao oprimida que a sociedade nos coloca).

Só acho que sinceramente voce tá construindo uma falácia nessa questao. Os pontos isolados possuem nexo e tem lógica, mas quando junta-se o quadro inteiro... a resposta nao bate.

Sinceramente, nao consigo ver nao-homofobia e nao-preconceito numa pessoa que tatua um samurai com suásticas no braco. Voce pode argumentar 750 vezes sobre o significado alternativo desse símbolo, e etc: o principal significado todo mundo sabe qual é que ele tem. Ele ESCOLHEU tatuar isso seguramente sabendo desse significado. E isso é um ponto sobre a personalidade do cara.

Se voce precisa que o cara fale "Eu odeio viado" para considera-lo homofóbico... esse é um direito seu. Eu pessoalmente nao espero chegar a esse estágio para me sentir incomodado com as atitudes de uma pessoa.

Sobre o argumento dos 70%, eu nao achei feio. Somente achei escroto, sendo bem sincero. Argumento de leske que frequenta Baronetti e quer compensar o fato de ser um babaca com o fato de ser sarado. Pessoas podem achar o Hitler um gato: isso nao interfere na avaliacao das atitudes e idéias do cara. Dois pontos COMPLETAMENTE diferentes, e portanto, fez sentido nenhum quando voce resolveu misturar os dois.

E sim, esperava que voce fosse me dar razao em tudo. Sou virginiano, esqueceu darling? :D

E sinceramente... Dourado já deu. Vamos mudar o assunto?

Beijos,
Fer

Fernando disse...

@Introspective: Sinceramente espero que a Folha nao caia tanto de nível a ponto de dedicar uma secao sequer ao BBB.

Ainda precisamos de pelo menos um jornal legível no Brasil. :D

Fernando disse...

@Diego (but not Don)

Esse efeito riscado é possível de ser escolhido na hora em que se edita um post. Dá uma procurada na barra, e procura por "riscado".

E droga, ainda nao consegui patentear esse efeito! rs :D (Brincadeira: oras, tá lá... é para usar!)

Fernando disse...

@whateveeer: Exatamente esse significado. Dourado.... fisicamente rola, mas aquele discurso "O Segredo" mais atitudezinha de Rocky ... completamente diferente do que eu curto e procuro.

Don Diego De La Vega disse...

Fernando:

Tb estou exausto de falar de Dourado. Exausto.

Mas só vou comentar o lance dos 70%: é relevante, sim, e os dois lados estão vinculados sim, numa coisa q se chama RECALQUE. Muita gente q critica e detona alguém na verdade faz isso por não querer admitir o enorme tesão que sente por esse objeto de seu aparente ódio.

Como escreveu um leitor no meu blog agora no post sobre homofobia: o oposto do amor não é o ódio, mas a indiferença.

Apenas isso. :)

beijos
Diego

Don Diego De La Vega disse...

Ah, a metáfora do camarão não funcionou comigo porque eu de fato ADORO camarão e como ele inteiro, sem tirar nada. :)

whateveeer disse...

lol
Po Don Diego, eu tb como camarao inteiraco. Hi5!

Fernando disse...

@Don Diego: Sim, mas mesmo assim nao faz lógica o que voce falou. Estamos discutindo as atitudes do cara, o que nao tem NADA a ver com o físico dele. Nem tudo é relacionado a sexo, dear.

E sobre camarao: bem sinceramente, sou ultra alérgico. Iecati. :D