quinta-feira, 6 de maio de 2010

Momento* "Wie bitte**?": Cultura e Imperialismo

*eu sei, eu ando mesmo num momento de muitos... “Momentos”. Mwah!
** Literalmente, em alemao “Como, por favor?”. Geralmente pronunciado com a mesma expressao que voce falaria “Que PORRA é essa?”.

(Kindly stolen from Made in Brazil)
Comentário "Muito Nerd": 
... No entanto, todas essas obras [sobre clássicos da literatura europeia que ele analisa no livro]  sustentam que a fonte de ação e da vida significativa no mundo encontra-se no Ocidente [no caso, o Ocidente desenvolvido], cujos representantes parecem estar a vontade para impor suas fantasias e filantropia num Terceiro Mundo retardado mental. Nessa visão, as regiões distantes do mundo não possuem vida, história ou culturas dignas de menção, nenhuma independência ou identidade dignas de representação sem o Ocidente.”
Trecho do livro “Cultura e Imperalismo” de Edward W. Said, Editora Companhia das Letras (1995)

Comentário "Um pouco menos nerd":
Melhor definição de subdesenvolvimento, impossível: shopping "de público selecionado" contratando modelo internacional (e ignorando que somos O celeiro internacional de talentos nessa área) somente pelo fato que ela foi “in” em algum momento nas últimas décadas nos mercados CENTRAIS (queridón: Brasil não é mercado para consumo de luxo. Ponto Final. Ou vai me dizer que você realmente acreditou naquele papo de estilista internacional abrindo loja na Oscar Freire/Garcia D'Ávila para desovar colecao nao-vendida da Europa e EUA falando que somos um key market no mercado de luxo mundial? Tsc tsc tsc) e não percebendo que isso somente acentua a sua desagradável imagem de trying so hard.

Comentário "Totalmente Nao-Nerd": 
Não parece que ela tá vestindo uma Ceasar Salad?!

4 comentários:

Daniel disse...

Esse Cidade Jardim nunca daria certo no Rio, mas tem um similar a ele em construção ao lado do Barra Shopping. Algo me diz que vai ser furada.

Will Moritz disse...

O mais paradoxal é que os jardins da Cidade Jardim só existem em espaços privados, o rio que a banha é um grande esgoto a céu aberto e o tal shopping, vizinho de várias favelas, é uma grande fortaleza blindada e com ar condicionado que separa e ajuda seus pagantes a acreditarem que vale a pena esquecer o inferno urbano em que vivem. O mesmo inferno no qual tanto senhores quanto escravos devem, para o bem de sua saúde mental, acreditar no sonho dourado de ganhar o bastante para enfrentar o trânsito em um carro melhor e comprar um apartamento caríssimo bem perto do escritório.

Fernando disse...

@Daniel: Por que voce acha que nunca daria certo? Falta de gente rica, muito rica ou pelo estilo de vida dos cariocas mesmo?

@Will: Realmente, toda vez que eu descrevo o Cidade Jardim para qualquer amigo gringo fica dificil de segurar o "Urgh!". Acho que pior do que o SCJ só mesmo o Fashion Mall carioca - o luxo de frente para a MAIOR favela da América Latina.

Alexandre Lucas disse...

Não acredito nessa teoria conspiratória de imperialismo. O que sempre existiu foi a dominação de quem possui o poder.