quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Curtas de Madrid: Espanhois nao tem sangue nas veias


- Espanhóis nao tem sangue nas veias... esse povo deve ter mesmo algum composto de Red Bull com vodka. Já tinha tido um preview da party addiction deles nas festas do Erasmus (eu, detonado nos clubes de Hamburgo às 4.30h e as espanholas, em saltos altíssimos, berrando "¡Fiesta, fiesta!"). Pero díos, 5.30h de uma quinta-feira e um clube como na foto acima, mega lotado?! Esse povo nao trabalha nao?!

- Espanholas y tacones altos (amo a versao espanhola de sapatos altos!) sao praticamente uma entidade unica. E junta a isso muita, muita sangria (y otras cositas mas - fila para os reservados dos banheiros estava enooorme) e o que eu vi fui uma sequencia de tombos digna de Mundial de Ginástica Olímpica. Mas elas nao perdem o carón: levanta, ajeita o cabelón, toma outro shot de vodka y vamos a bailar. ¡Fiesta! :)

- Y bem, pelo visto, se nostalgia foi o sentimento de Paris... ressaca vai ser o típico sentimento madrileño. Postando com gafas de sol. Mesmo sendo inverno em Madrid (aliás, nevou aqui!), e estando escuro para carajos lá fora. Mierda, mierda, mierda.

- Cheguei no aeroporto de Barajas me cagando de miedo: afinal, especialidade espanhola é paella e deportar brasileiro por qualquer razao. Como esperava, foi super tranquilo: passei por nenhum tipo de controle, afinal, chegava de um voo de Paris. Ufa!

- Primeras impressiones de España (além do meu portuñol mode on total)? Desenvolvimento recente gritando. O sistema de metro de Madrid ainda brilha de tao novo (um alívio depois do sobe-e-desce-liga-o-GPS-para-ver-onde-estou das estacoes de Paris), e o sistema de trens suburbanos completamente subterraneo na maior parte do caminho (que deve ter custado uma fortuna para ser construído - túneis enormes) me deixaram impressionado. Nem na Alemanha eu vi algo parecido com isso. Realmente a Espanha andou lucrando muito com a Uniao Européia.

- Espanhóis? Sentimento engracado: andar por Madrid me provoca um home feeling parecido com que eu tive em Lisboa, mas um pouquinho mais diferente. A forma de se expressar, de falar, de agir lembra muito a nossa, mas os rostos já sao mais diferentes. E a atitude, mais "¡Olé!".

- E nos trens (moderníssimos por sinal, muito melhores que os lixos sobre trilhos chamados RER de Paris), o que eu reencontrei? Vendedores ambulantes, do tipo "Señores pasajeros, perdones por la interrupcion de su viaje..."!!! :) Igualzinho ao Brasil!

- Aliás, por falar em Brasil, momento economista-sério-chato: suplemento do El Pais de hoje é sobre os 100 homens e mulheres iberoamericanos mais importantes do ano. Quem ganhou o posto de o mais entre os mais? Melhor mesmo clicar aqui e ter um pouco de nocao da empolgacao européia com o momento que o nosso país vive (important remark: texto escrito por José Luis Rodriguez Zapatero, presidente do governo espanhol - que cita, inclusive, de forma bem "good loser" o fato de termos ganhado deles na disputa para sediar as olimpíadas de 2016.). Sinceramente, tudo o que eu tenho lido e escutado aqui na Europa sobre o nosso país (falo de matérias e textos sérios, muito além do discurso de gringo embasbacado com Farme de Amoedo e Copa) me fez repensar se nós, brasileiros, nao sofremos mesmo de uma síndrome de auto-flagelacao. Ok, o nosso país tem muito trabalho pela frente. Mas acho que o discurso de "pobre nacao latino-americana", insistindo que "nunca iremos para frente", "que no Brasil tudo é sempre assim mesmo" nao cola mais para a gente nao...

- Alias, por falar em Olimpíadas: Fernando (depois de algumas botellas de sangría y otras cositas más) com o grupo de amigos espanhóis da minha amiga Marta indo pegar um taxi para ir para o clube noturno. Na janelinha do táxi, adesivo "Madrid 2016". O que o very diplomatic Fernando fez? Bateu no vidro com a mao, e em voz alta, no meio da rua, berrou "Madrid 2016?! FAAAAIL. Rio de Janeiro!!!". :D

- P.S.: Saudades de Hamburgo e Estocolmo, hein... Recebendo cada proposta nos meus perfis de criaturas de Madrid e Roma que, meodeus... Preview do que me espera do Rio? Ai...

6 comentários:

Daniel disse...

Quando eu fui em Madri esse metrô estava todo em obras. Um inferno para andar na cidade.
Não perca o museu do Prado!!!

Tiago disse...

Viva Madrid! Uma das minhas cidades preferidas! Isso de baladas intermináveis, gente na rua indo e vindo sem parar, mesmo à 1h30, é muito interessante! E os espanhóis são safadinhos e jogadinhos, aproveite! Com certeza eles investiram muito recentemente na cidade. Mas ainda assim tem cultura "por los tubos": três museus de tirar o fôlego, o Reina Sofía, o Prado e o Thyssen-Bornemiza. E eu já falei como o povo é jogado?!

Tiago disse...

Ahn, expressões ótimas para usar em Madri: para nada! (faça cara tipo tô nem aí) Ni hablar! (faça cara nem pensar) A mi me dá igual! (faça cara blasé de tanto faz) Fantabuloso! Guapíssimo! Más hermoso y me muero! (quando vir um bofiscândalo na rua)

Fernando disse...

@Dan: 7 horas gastas no Museu do Prado hoje. Pronto: virei viado-metido-a-intelectual. Fudeu.

Fernando disse...

@Tiago: Ah, mas eu nao gosto muito do estilón do pessoal aqui nao. Meu market share tem mais deficiencia de melanina mesmo... :(

B. Rio disse...

2010, sonho: conhecer a Espanha e os espanhóis. hehehehehe