quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Outono, depressao sazonal e Alemanha


O último talk of the town - ou melhor, the country - aqui na Alemanha é sobre a morte do goleiro da selacao alema Robert Enke. Ontem de noite, as 18:15h, o carro onde estava o goleiro se chocou contra um trem expresso perto de Hannover, nao muito longe daqui de Hamburgo. Tudo indica para a tese de suicídio, porque o carro teria sido atingido quando estava sobre a linha férrea, mas distante de qualquer ponto de cruzamento: ele teria dirigido sobre os trilhos dos trem até o ponto onde o trem se chocou contra ele.

Suicídio sempre é um tema bem complicado, e aqui na Alemanha as pessoas estao um bem afetadas por se tratar de uma figura importante, heroí nacional do esporte. O goleiro teve alguns problemas recentes na carreira esportiva dele, e também na vida pessoal: em 2006, ele e a mulher dele perderam uma filha de dois anos, vítima de uma doenca do coracao; mas tudo parecia resolvido para a família, e inclusive eles adotaram em Maio uma crianca com atualmente 8 meses de idade. Enfim, os alamaes estao surpresos, e discutem os motivos para esse ato desperado de um cara com uma carreira de sucesso.

Algumas discussoes sobre o tema aqui também seguem inevitavelmente para a questao do tempo: o outono chegou com forca total aqui. A Alemanha como um todo é um país de transicao do clima temperado oceanico para o temperado continental: o Sul tende a ser mais frio mas também mais seco (=mais sol) enquanto no Norte chove praticamente o ano inteiro. O resultado disso é que o Norte - especialmente Hamburgo, a grande cidade do Norte do país - ficam imersos num combo chuva+frio+falta de sol que acaba por deixar o humor das pessoas sempre um pouco mais negro, senao mais soturno. Sim, pelo o que eu sei, faz um calor senegales atualmente no Rio e voces devem estar morrendo de inveja, mas confesso que estou comecando a sentir os efeitos do frio e falta de sol prolongado, e isso ficou claro para mim quando voltei de Portugal: mesmo com tempo mais para chuvoso em Lisboa, foi um pequeno choque voltar para Hamburgo e encontrar as árvores já quase que completamente desfolhadas, e o tempo ainda mais frio e escuro. Cheguei na Alemanha em fevereiro passado, no auge do inverno, mas talvez nao tenha sentido nada pela mudanca extrema do verao tropical para o inverno europeu; mas dessa vez, confesso que o tempo comeca me me incomodar gradualmente.

Parcialmente "felizmente" eu volto para o Brasil em Janeiro, mas os coitados dos alemaes tem que lidar com esse tempo até Marco ou Abril. E ainda o pior está por vir: os meses de Janeiro e Fevereiro, ainda mais chuvosos, escuros e frios, exatamente quando os meus amigos alemaes reclamam que já estao exaustos desse tempo que nao muda. Compreensível porque a indústria de turismo na Alemanha é tao forte: nesse época, os voos para os poucos lugares ainda com clima mais aceitável dentro do continente europeu (dentre eles, principalmente as ilhas atlanticas dos Acores e Madeira) se multiplicam, com vários alemaes em busca de um pouco de sol e vitamina E.

É amiguinhos: esse post é para mostrar para os meus caros amigos brasileiros que acham que ficamos sentados aqui na Europa dentro de um café, tomando um capuccino quentinho, decidindo se vamos esquiar nos Alpes Austríacos ou passar um final de semana em Milao... :) (Ou seja: estou matando por um final de semana em Ipanema, praia, sol, mar...)

6 comentários:

Will Moritz disse...

Dirigir "sob" os trilhos??? Como é isso? Ele cavou um túnel, entrou com o carro e andou por baixo dos trilhos???

Will Moritz disse...

Ok, a praia é mais democrática e no Rio vocês têm praia; agora pense o que é aguentar um verão sufocante de merda numa cidade sem mar e sem ter ar condicionado ou piscina em casa, que é o caso da maioria dos brasileiros e foi meu caso no verão passado de Buenos Aires (que não perde muito pro do Rio, por mais inacreditável que isto pareça!). Mas concordo: frio e chuva é uma combinação suicidogênica!

Fernando disse...

Obrigado pela correcao - portugues melt down aqui (daqui a pouco vou estar como a Luciana Gimenez falando "Como se fala isso em portugues mesmo, hein?!"). Parece que o cara dirigiu SOBRE os trilhos, parou o carro e esperou o trem bater nele. Trevas, trevas, trevas...

Eu sei que calor é um saco - os cariocas normais também nao podem ficar o dia inteiro enfiados na praia, entao é um inferno na maior parte da semana. Mas aqui tá batendo um frio bem brabo - mesmo com pullover, casaco e cachecol, eu ainda estou sentindo frio. E o tempo NAO MUDA aqui: chuva e frio todo dia, o mes inteiro. Depre demais.

Anônimo disse...

e os shoppings? cinemas? teatros? museus? saunas, nightclubs, bares?
durante minha estada em Vancouver, o frio era um problema terrivel no começo, mas depois comprei um waterproof footwear e fui ser feliz...entendo o que acontece com a cidade por conta da chuva-frio, mas vc não pode ficar trancado em casa por conta disso! quando a "deprê" apertar, corre pra Barcelona ou Madri (EASYJET é mais barato q RYANAIR, rsrsr).
abs,
Alex Bez

Fernando disse...

@Anonimo: Shopping é programaco de índio aqui em Hamburgo - fecha as 20h, e praticamente uma armadilha capitalista para mim (ainda conseguirei entrar em um H&M e nao comprar nada). Teatros, em alemao fico meio sem saco (entendo, mas nao pego o timing das piadinhas, e acho chato). Museus, tá, deveria ter ido mais a alguns dos musueus daqui (to enrolando para ir a um campo de concentracao perto de Hamburgo há seculos). Sauna é caro, e já tenho a minha peguete list feita aqui em Hamburgo (planejamento é tudo!). E nightclubs e bares, bem, vamos sempre nos findes. :D

E querido, voce é o meu ídolo por ter enfrentado o inverno canadense! :P Congrats!

Rs Falando a verdade, eu cheguei aqui no alto inverno, e segurei a barra legal. O foda é que o verao na Alemanha é uma merda, entao é um tempo prolongadissimo exposto a falta de sol. E dessa vez, tá sendo foda segurar a barra.

Mas enfim, vou causar o quanto der ainda!

Daniel disse...

Lebrei da Hannelore Kohl