quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Puto II - O retorno

Depois de 3 estudantes me ligarem querendo pegar o quarto, eu percebi o absurdo que seria eu (estudante brasileiro fudido e mal-pago) pagar 40€ pelo erro da administradora da residencia e para uma pessoa morar no meu quarto enquanto eu estaria viajando pela Europa - ainda mais fudido de grana. 40€ é grana braracaí - é o preco de uma passagem de ida-e-volta entre Madrid e Barcelona, 40 cheeseburgueres no Mac Donalds, ou a próxima refeicao que eu jamais vou esquecer em Paris. E mesmo se fossem 4€: carajos, eu ralo para conseguir essa grana! Muito, e auf Deutsch! Trabalhei até em bar aqui (nada contra, mas aturar alemao reclamando que o colarinho da cerveja estava 0,05cm abaixo do ideal mantenando o sorriso no rosto foi PHODA), batalhei pelo estágio onde estou agora, e ralo 8h por dia em um idioma que é uma incógnita para a maioria dos habitantes do planeta. Mein Arschloch!

Liguei para o meu melhor amigo americano, perfeito nessas horas. Tudo para americano é "I will fucking sue you, bastard!", e ele abriu os meus olhos: a gente já é fudido, vem do terceiro mundo (ele tem origem mexicana, papi cruzou o deserto nas canelitas) e se mantem aqui com o suor do nosso trabalho. Tudo isso para passar mais aperto ainda na minha viagem pela Europa e levar o rótulo de latino desorganizado?! Mein Arschloch.

Liguei para o antigo-futuro locatário (estudante de direito, que tinha visitado o meu quarto e decidido ficar com ele quando eu pensava que ele sairia por somente 210€) perguntando educadamente se ele tinha algum outro quarto em vista. Resposta fofinha do alemao?


" Claro que nao! Nós temos um contrato verbal, e nao fui eu que fiz o erro com relacao ao valor. Portanto, se foi voce ou a Frau Dakn que cometeram o erro, eu nao vou pagar por isso." (em tom escrotinho)
 


No primeiro instante: puto, muito puto. No mesmo dia, dois rótulos "latino desorganizado" na testa, enquanto eu tentava ser justo e legal. Meus genes arabe-judaico-barraqueiros gritaram "Sangue!".

Mas aí eu pensei: "Fernando, do que adiantou esse 1 ano na Alemanha se voce reage impulsivamente a tudo? Titio Goethe nao te ensinou nada?". E pensei: sim, eu sou uma nova pessoa! Meus genes agoram falam alemao fluentemente, esperam o sinal ficar verde mesmo que nao tenha nenhum carro vindo, e compram o ticket de metro mesmo sabendo que ninguém vai te fiscalizar. Meus genes sao sim, parte alemaes agora.

Desliguei o telefone. Teutonicamente liguei para o primeiro estudante da lista, ele ainda queria o apartamento, me agradeceu muito por ter ligado para ele, desliguei o telefone. Liguei para o estudante-de-direito-mala:

"Querido, to ligando para avisar que já dei o quarto para outro. Vi uma bolsa na Zara MARAVILHOSA, e custava exatamente 40€. Boa sorte da próxima, e tenta ser mais educado que quem sabe voce consegue. Beijos!". 

Pronto. Fernando completamente integrado a cultura alema. Agora eu planejo os meus impulsos. :D

11 comentários:

Regis disse...

Ufa! No começo da leitura, achei que ia pagar a diferença para o "mala". Que bom que o seu "sangue Latino des(organizado)", falou mais alto. Ainda mais depois da prepotência do "mala".

Daniel disse...

Não tem coisa mais irritante do que estudante de Direito. A pessoa não aprendeu nem a metade do curso e se acha O ministro do Supremo.
quando eu trabalhei em Juizado, os processos dos "estudantes de Direito" (é assim que eles se qualificam no campo profissão) eram os mais estapafúrdios possíveis.

Daniel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fernando disse...

Tem sim: o meu amigo alemao (que eu tenho um imenso carinho, mas que as vezes é um babaca) que achou que eu "overreacted" e a mulher nao estava nem tao errada assim.

Sem palavras.

Sorri, e lembrei do famoso ditado "Pimenta nos olhos dos outros é refresco".

E falei "Ja, klar".

Só até Janeiro, só até Janeiro...

Rodrigo disse...

Fernando,
Depois de todo esses problemas, tenho certeza que a Europa vai te sorrir muito! Lembre-se, você está só a alguns dias de Paris... que, não, não vai te decepcionar! É tautológico dizer, mas vocÊ vai ter que ir para o Leste europeu para encontrar sua "cidade que não gosta". Paris corresponde a todos os estereótipos positivos que você possa ter! Não se esqueça de ir ao Marais (Estação Hôtel de Ville) e tomar "un verre" no Open ou no Raidd... em cinco minutos um francês bem "Pepe le Pew" vai puxar conversa com você. E, acredite, além de charmosos, os papos são excelentes (Leia uma The Economist básica ou um Le Monde Diplomatique)!!! Aproveite!

Anônimo disse...

aproveitando carona no post anterior, aproveite q vc estará flanando sem destino pelo Marais e vá conhecer o GEORGES POMPIDOU, vc vai adorar a coleção permanente do museu (projeto espetacular do Renzo Piano e Richard Rogers)
Atrás do Pompidou, tem um restaurante/bar imperdivel:
Le CURIEUX SPAGHETTI BAR
Rue Saint-Merri, 75004.

A comida é ótima, preço ok, e um publico tipo spot/ritz mas sem carrão, pra vc que vai viajar solteiro não poderia ser melhor, rs.

Enjoy,
Alex Bez

Anônimo disse...

ops, sem carão!!! rsrsrs

Fernando disse...

@Rodrigo: Amo The Economist e Le Monde Diplomatique. Aliás, voce fala alemao? Conhece um jornal chamado Die Zeit?

Fernando disse...

@Alex: Anotado e irei sim ao Georges Pompidou. :D

Don Diego De La Vega disse...

Como é q são as coisas, né?

Tudo por causa do tom. Se o estudante de direito alemão tivesse ponderado com vc numa boa, tipo "Poxa, cara, eu não vou poder pagar isso. Será q não tem como a gente dar um jeito? Não tem como pedir pra administradora pensar numa alternativa, já que o erro foi deles?" tenho certeza q vc, q como eu é um cara q pensa nos outros, tentaria resolver da melhor forma para os dois.

Mas aí o cara escrotiza e, de fato, só merece uma escrotizada de volta.

E olha q vc é virginiano...pergunta pra mim e pro Uomini, Arianos, como seria nossa reação....:)

Fernando disse...

@DonDiego: Realmente, o cara foi bem escroto. Mereceu!

Rs Eu sou o virginiano mais fake ever. Apesar que dizem que o meu ascendente em sagitário é que faz eu ser tao nao-virginiano assim. Entende algo disso?