sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Love and other disasters

Para os que acompanham o blog do Tony Goés, esses dias voce puderam ler que o cara completou 19 anos de relacao com o Herbert. 19 anos!!! Nao conheco um, nem conheco o outro - mas posso afirmar que somente lendo sobre a relacao deles fica uma imensa admiracao da minha parte por uma relacao dar tao certo! 19 anos... Realmente impressionante. Principalmente quando se leva em conta o mundo tao individualista em que vivemos hoje... o que nao necessariamente é ruim ou bom, mas simplesmente o mundo que atende as necessidades das nossas vidas modernas...

Sempre quando penso em relacionamentos me vem a cabeca essa parte do primeiro capítulo do livro "Sex and The City" (muito bom, por sinal), que dizia:

"...Welcome to the Age of Un-Innocence. The glittering lights of Manhattan that served as backdrops for Edith Wharton's bodice-heaving trysts are still glowing—but thestage is empty. No one has breakfast at Tiffany's, and no one has affairs to remember—instead, we have breakfast at seven A.M. and affairs we try to forget as quickly as possible. How did we get into this mess?"

Acho que nao existe descricao melhor dos relacionamentos modernos do que esse trecho do livro. Atualmente estamos sob a pressao eterna de trabalho, estudos, apresentar resultados... e parece que qualquer forma de "gostar de alguém" é mais um sinal de vulnerabilidade do que realmente uma... busca do direito de ser feliz. Nos preocupamos (me incluindo nisso também, ok?) tanto com as possibilidades de um relacionamento dar errado (distancia, diferenca de estilos de vida, idade - enfim, tudo é um possível motivo para que uma relacao nao de certo) que eles simplesmente... acabam dando errado... E voilá: mais um "affair to forget". Parece que apostar, dar a cara a tapa atualmente é mais um sinal do que voce é um carente que precisa de terapia do que realmente uma pessoa que busca a mais simples e básica forma de felicidade: a companhia de uma pessoa especial. Afinal, porque todo mundo tem inúmeras histórias de cafajestices e canalhices em relacionamentos para contar... mas fora das telas do cinema e das novelas, quase nunca escutamos uma "história de amor" sem pensar "Sei... Vamos ver quanto tempo isso dura..."?

Enfim, pensando na história do Tony, pensando em amor, relacionamentos e outros disastres relacionados bati olho no artigo acima no site da Neon (uma revista alema algo como uma "Capricho" para os solteiros de 20, 30 anos - com infinitamente mais conteúdo e que eu seriamente recomendo para quem sabe alemao): Sofort verlieben! (Amar agora!). E sinceramente, me peguei sorrindo. :) Como essa idéia de "encontrar o seu amor" ainda atrai tanto a gente ainda, nao é? :) Será que debaixo dessa capa de "Nao estou no momento certo para relacionamentos na minha vida" que boa parte nós, solteiros modernos, nos escondemos, existe mesmo um coracao buscando a felicidade pura e simples de dividir um pote de sorvete vendo um filme com a pessoa que voce curte? Será mesmo?

Bem, depois disso tudo, imediatamente lembrei do meu discurso-convencimento: que eu estou tentando sair de uma história, que eu estarei de volta ao Brasil em 4 meses, que estou aqui para investir na minha carreira, bla, bla, bla - tudo aquilo que voce fala para voce para nao falar a verdade "Estou com um medo do caralho de me sentir tao vulnerável e gostar de alguém de novo".

Mundinho moderno complicado...

P.S.- Lendo as outras matérias da revista da edicao de Outubro, me deparei com isso:
A secao Ausland da revista fala sobre a construcao de muros cercando as favelas no Rio. Enfim, do jeito que está escrito, parece que Israel resolveu exportar o muro que os separa da Palestina, e o Eduardo Paes resolveu contratar a Mossad para lidar com as traficantes. Nao foi a primeira vez que essa construcao de muros cercando as favelas sai na imprensa alema - até onde eu sei, os muros eram uma tentativa de evitar o crescimento das favelas em direcao a mata nativa, mas aqui na Alemanha isso soa como uma tentativa de construir um gueto ainda mais separado da cidade... Alguém sabe melhor do que está acontecendo sobre isso?

4 comentários:

Daniel disse...

a explicação oficial é essa mesma: proteger a vegetação. Mas é verdade, as favelas cresceram MUITO no império do César Maia II e III.

Mas não deixa de ter esse ar de segregação, né? Se pelo menos dissessem que iam demolir as favelas e construir conjuntos decentes para as pessoas morarem...

Regis disse...

Estamos sempre buscando o Principe encantado, né? É inerente do ser humano, seja lá o seu genero, e sempre acabo ultilizando o discurso do que importa mesmo é qualidade da relação independente da "duração". Porém quando vi a comemoração das bodas de água marinha, me deu uma certa nostalgia e vontade de ter vivido e quem sabe viver um amor assim. Quem sabe!!

Com relação às favelas cariocas, acho que medidas devem ser tomadas para conter o avanço destas favelas, como bem diz o Daniel.
Apesar de ser Paulista e não ter embasamento para opinar por problemas locais de vocês; acho que o Muro pelo menos a principio é uma alternativa!!

Fernando disse...

@Daniel: Foda explicar para um alemão que é para proteger a mata atlântica sem parecer um daqueles caras que não liga para questões sociais, etc. Nesse ponto, o pessoal daqui do Norte da Europa tem uma consciência social muito forte, e ficam impressionados com qualquer tentativa que pareça mais segregacionista.

Fernando disse...

@Regis: Ah, eu também acho que o que é importante é a qualidade e intensidade da relação. Já vivi histórias de 3 semanas que foram mais intensas do que 6 meses saindo com outros caras... Para relacionamento é difícil estabelecer um parâmetro, né? No fundo vai do sentimento de cada um, do que cada um viveu.