segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Ser gay em Hamburgo é...

Lange Reihe, a Farme de Amoedo hamburguesa - nao tem praia no final, mas é bonitinha assim mesmo, tá?

Lado bom:
- Liberou geral: voce anda com o seu peguete/namorado de maos dadas na rua e ninguém vira para olhar. Para ter uma nocao, a Farme de Amoedo (Lange Reihe) daqui tem escola infantil, trocentos cafés e bares iranianos/turcos/portugueses e uma mesquita numa das extremidades da rua. Todo mundo convivendo na maior paz. :) E isso se extende para a cidade inteira.

- Night é tudo misturado mesmo: Isso é uma tendencia bem forte do Norte da Europa (mais ainda em Estocolmo e Copenhagen) - as boates gays estao se tornando cada vez mais escassas, e as ainda existentes sao quase sempre mais frequentadas pelo pessoal mais "vivido". Como tudo é tao liberal, a geracao gay mais nova acaba frequentando os mesmos locais e boates que os heteros da mesma idade. (Experiencia própria - em uma boate "hetero" de Hamburgo meu gaydar apontou (errado, claro) para um cara. Cheguei puxando um papo, conversamos durante 5 minutos e soltei "Voce é bem interessante, sabia?". O cara abriu um mega sorriso no rosto, falou "Poxa, mas eu nao sou gay, cara..." e me ABRACOU. Eu fiquei com aquela cara de "WTF?", e ainda continuamos a conversar por uns 10 minutos. Desenvolvimento demais para mim.).

- Medo de sair do armário is so last season: Sabe aquele dilema "conto para o meu amigo hetero que eu sou gay ou nao?". Absolutamente inexistente aqui. Todos alemaes para os quais eu contei que era gay reagiram com um blasé "Mesmo? Nunca tinha sacado isso." (claro: alemao nao tem essa necessidade permanente de SÓ falar sobre mulher-futebol-mulher que latino tem). E continuaram agindo da mesmíssima forma que antes. Nada daquelas perguntas chatérrimas "Mas voce realmente nao gosta de mulher?!!!" que hetero latino faz. E até perguntam se voce está saindo com algum cara no momento...

Lado ruim:
- Ninguém olha mesmo: Paquera? Azaracao? Piriguetismo? Vai esquecendo. Tá todo mundo tao coberto de roupa, o céu tá tao cinza, tá tao frio que ninguém parece ter animo para paquerar. Olhada discreta rola, claro. Mas nada além disso. Alemao é MUITO tímido - ou voce chega, ou nao rola nada.

- Alemao é sistemático: Sexo é sexo, paquera é paquera. Se voces marcam sexo, ele vai perguntar detalhadamente tudo o que voce gosta e nao gosta, quanto tempo vai durar, qual as posicoes preferidas, possíveis fetiches - o que vai tornar o sexo casual tao excitante como uma aula de anatomia comparada (bem, possíveis fetiches uma ova - como um amigo meu diz, todo frances e alemao sempre tem um lado B beeeem dark).

- Lentidao: Rolou paquera? Fudeu: nada de ir esperando um jantar seguido de um beijo daqueles no carro, com uma mega pegada. Se o cara gostou de voce, pode ir se preparando uma sequencia interminável de café, passeio no parque, ida ao cinema, museu - isso tudo para rolar UM beijo (que VOCE terá que roubar). Outra sequencia interminavel de passeio, café, ida ao museu... para QUEM SABE rolar uma pegada mais forte. Somente assim eles acham que é possível conhecer melhor uma pessoa (O lado bom é que na hora que vai, a coisa vai que é uma beleza... hehehe E a gente ainda conta com o "plus a mais" do fetiche de ser latino e brasileiro - óbvio que eu, que odeio qualquer tipo de cliche, me utilizei desse cliche aqui é MUITO... hehehe).

- Paraday gay = Carnaval Solteiro em Salvador? Nein, Nein... : Lembro como se fosse hoje: tinha acabado de terminar com o FDP (filho-da-puta) germanico, e Parada Gay chegando. Nao sou muito fa da pegacao "Solteiro em Salvador" (= pega um, pega dois, pega trinta), mas tava solteiro, carente, e os meus amigos alemaes contando que a Parada Gay era "O" evento de Hamburgo. Fui todo trabalhado no piriguetismo carioca, esperando O evento...
Sabe desfile cívico de Sete de Setembro? I-G-U-A-L. Toda dividida por grupos, com plaquinhas na frente, cartazes e folhetos com as principais reindivicacoes. Além de trios elétricos dos principais partidos, tinha grupo de tudo quanto era tipo: grupo de adolescentes gays, grupo de gays membro da Polícia de Hamburgo, gays islamicos em Hamburgo, gays SM (com direito a pessoas andando com coleiras e tudo). Tinha tudo - menos pessoas se beijando (sério, eu contei dois a parada inteira: alemao é tímido, como eu falei) e ZERO paquera. No final, estava eu, agarrado com a minha garrafa de espumante (bem, o lado legal de morar na Europa é que o espumante é frances e barato), com aquela cara de "Great.", todo colado de stickers dos partidos alemaes distrubuídos na parada.

---

Post motivado pelo meu recente "outing" para o estagiário vítima da "exclusao do Mirabel" (nao, ele nao é - sim, tumbs down, eu sei). Como disse acima, o cara foi um fofo e agora conversamos basicamente sobre as nossas experiencias amorosas: ele com as garotas, eu com os garotos, e ele escutando tudo isso com a maior atencao. :) Nada como com os meus amigos portugueses, que sao legais, mais insistem no combo "mas como voce nao pode gostar de mulher?"+ "cara de nojo toda vez que eu comeco a contar como foi quando sai com um cara". Chaaaato...

Um comentário:

Introspective disse...

"todo trabalhado no piriguetismo carioca" - ADORO! :)